• domingo, 21 de outubro de 2018
  • 18:00 Icone do tempo--ºC / --ºC

Meio Ambiente

15/6/2016 às 04h00

Parque do Rio do Peixe passará a receber visitantes após construção de portal e acesso na SP-563

Na sede, estão construídos o centro de visitantes, sede administrativa, almoxarifado-oficina, zeladoria e alojamentos

Sede do Parque Estadual do Rio do Peixe, instalações estãoprontas para receber visitantes (Foto: Gilmar Pinato/JR) Sede do Parque Estadual do Rio do Peixe, instalações estãoprontas para receber visitantes (Foto: Gilmar Pinato/JR)

O Parque Estadual do Rio do Peixe, que abrange os municípios de Dracena, Ouro Verde, Presidente Venceslau e Piquerobi, começará a receber visitantes após a construção de uma alça de acesso e portal na rodovia General Euclides Figueiredo (SP-563), local de entrada do parque. A informação é do governador Geraldo Alckmin e da secretária do Meio Ambiente (Sema), Patrícia Iglecias, que estiveram quinta-feira, 9, no Parque Estadual para o plantio de mudas nativas da mata atlântica, com objetivo de restaurar uma área de 245 hectares da reserva.

A entrada para o Parque do Rio do Peixe, está localizada no km 111 da rodovia General Euclides Figueiredo (Integração SP-563), no município de Presidente Venceslau, próximo à divisa com Ouro Verde.

De acordo com a Sema, o custo do projeto de restauração ambiental do parque consistirá do plantio de 90 hectares de mudas nativas em 100% da área com a previsão de três meses, a regeneração natural de 78 hectares e o manejo de fragmentos florestais em 77 hectares.

“Esse é um projeto inovador e piloto que servirá para futuras restaurações em todo o estado de São Paulo”, afirmou Patrícia Iglecias. 

PARQUE – Conforme a SMA, área do Parque Estadual Rio do Peixe, abrange quatro municípios que possuem o rio do Peixe como limite territorial, Ouro Verde, Dracena, Presidente Venceslau e Piquerobi.

“O Peixe, é um rio de planície com leito sinuoso e extensa área de várzea entremeadas de lagoas marginais permanentes ou temporárias, características semelhantes ao tipo de ambiente que compõe o Pantanal, motivo pelo qual esse trecho do rio do Peixe é conhecido como “Pantaninho Paulista”, acrescenta a SMA.

INFRAESTRUTURA – Na sede, estão construídos o centro de visitantes, sede administrativa, almoxarifado-oficina, zeladoria e alojamentos.

Segundo a assessoria de comunicação da Fundação Florestal, os alojamentos poderão ser utilizados por visitantes, escolas, universidades e pesquisadores e estudantes. As aulas de educação ambiental serão desenvolvidas no centro de visitantes.

“A sede ainda não foi concluída, restando a instalação da alça de acesso e portal/guarita. Tais obras dependem de definições técnicas e legais, motivo pelo qual não é possível fixar um prazo no momento (para a inauguração)”, complementa a assessoria.

Comentários



  • Regras para comentários

    Não serão aceitas as seguintes mensagens:

    Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;

    Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;

    Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;

    De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;

    Anônimas ou assinadas com e-mail falso;

    O Portal Regional:

    Não se responsabiliza pelos comentários dos internautas;

    Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;

    Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;

    Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.

Leia também